TRAPALHADAS OFICIAIS

Walmir Rosário*

É incrível a capacidade permanente do Governo Federal – as estatais, inclusive – em criar trapalhadas com assuntos da mais alta seriedade. Agora mesmo, se noticia que segredos de Estado contidos em alguns notebook simplesmente sumiram de um contêiner transportado em carretas, como se tratasse de cargas comuns.

Não é de hoje que o aparelhamento da Petrobras, maior empresa brasileira comandada pelo Estado, rende críticas negativas. A estatal, antes vista como símbolo de eficiência, hoje é vista como um instrumento do partido do presidente da República a distribuir verbas a ONGs, associações e outros instituições sob recomendação expressa do PT.

Durante a CPI do Mensalão ficou patente o uso dos recursos estatais, onde o público se misturava ao privado. Empreiteiras da Petrobras distribuíam presentes caros a dirigentes do partido, a exemplo do jipe Land Rover – sonho de consumo de muitos brasileiros – doado a secretário Silvinho.

Mas deixando de lado o que já foi investigado, os computadores que sumiram continham dados sobre as recentes descobertas de petróleo nos campos Tupi e Júpiter. Embora demande gravidade, o caso está sendo minimizado até pelo presidente da República, o que é uma temeridade, haja vista a banalização com que está sendo o caso tratado.

Não importa que a Petrobras também possua em seu poder cópias dos softwares e das informações. O que se questiona é que foi cometido um crime contra o Estado, e que informações estratégicas estão em poder de uma quadrilha.

É inconcebível o tratamento dado – no mínimo displicente – a objeto de grande importância, fruto de anos de pesquisa e milhões em investimentos. É preciso se apurar os responsáveis pela decisão da forma de transporte escolhida e o vazamento das informações. Soa estranho o modo da divulgação do sumiço de informação importante para que o Brasil tenha autossuficiência em gás, atualmente dependente dos humores do cocaleiro Evo Morales.

Sinal dos tempos

Em tempos nem tão remotos, costumava-se dizer que os males da humanidade ainda estariam por vir e que eles seriam conhecidos pelos filhos e netos. Essa profecia dos mais antigos parece ter chegado aos dias atuais em dobro. Os males não chegam a ser aqueles conhecidos dos leitores da Bíblia Sagrada, mas suas causas tampouco ficam distante do sofrimento causado aos povos do oriente médio.

Nos dias atuais a população também sofre com grandes epidemias e doenças consideradas incuráveis, conforme conta a história. Só que, ao contrário de antes, os avanços da tecnologia são sentidos a olhos vistos e não há como ser comparado os níveis de conhecimento. Não bastasse o aumento dos males do corpo, hoje abundam os da alma.

A desagregação da família – causa apontada pelos especialistas – tem sido vista como o principal vetor do aumento da criminalidade, e que atinge, indiscriminadamente, todas as classes sociais. Se por um lado incentiva-se a formulação de políticas repressivas, melhor seria atacar tão grave problema com políticas sociais.

Melhor seria concentrar investimentos na formação do homem do que na imposição de castigo.

* Radialista, jornalista e advogado

Author Description

admin

No comments yet.

Join the Conversation