TODA AUSÊNCIA É ATREVIDA – A ASSIM “GERALDO DANÇOU”

Walmir Rosário*

Aproveitando a ausência temporária do todo-poderoso e plenipotenciário presidente da Academia de Letras, Artes, Música, Birita, Inutilidades, Quimeras, Utopia e Etc. (Alambique), Daniel Thame, os membros da academia, em assembleia conjunta com a Confraria do Alto Beco do Fuxico, vetaram a ingresso do deputado federal Geraldo Simões nas duas entidades.

Após intermináveis discussões na noite de sexta-feira (20), no Bar Artigos para Beber, por unanimidade dos presentes, o veto teve como base o relatório de atrocidades cometidas por Geraldo Simões quando no uso de bebidas alcoólicas. Segundo o relator do processo de pedido de ingresso, o diretor de Assuntos Meotísticos da Alambique, Leléu, o candidato (Geraldo Simões) não reúne as qualidades necessárias de um bom biriteiro e não passa de “copo sujo”.

Ainda no relatório, ficou explícito que por diversas vezes, quando do uso de uns conhaques, Geraldo Simões teria praticado atos incompatíveis com a conduta de um confrade ou acadêmico. “Todas as vezes que enche a cara promove atos impróprios para um “bom copo”, como tomar vassouradas na Califórnia, perder a direção do carro na BR-415, no trecho Ilhéus-Itabuna, dentre outras atitudes incongruentes com a honraria”.

E, continua o relatório: “Por último, ao encher a cara, na semana passada, cometeu mais um desatino, pedindo a cabeça de jornalistas que não rezam pela sua cartilha, conforme fato ocorrido e acontecido após a ingestão de uns quatro whiskys (paraguaios, diga-se de passagem), ligou para o diretor da Bamin para exigir a demissão do jornalista Ricardo Ribeiro, fato considerado desavergonhado e indigno de um membro de conceituadas instituições da qualidade da Alambique ou da Confraria do Alto Beco do Fuxico”.

Em ata lavrada e assinada pelos presentes no Alto Beco do Fuxico, publique-se e cumpra-se.

*Radialista, jornalista e advogado

Author Description

admin

No comments yet.

Join the Conversation