OS 90 ANOS ANTECIPADOS DE CARLINDO

O aniversariante ganhou quatro dias de festa e uma nova comemoração está sendo planejada para daqui a cinco anos

Gilberto, Tyrone, Edmundo e as respectivas esposas foram levar um abraço a Carlindo

O aniversário de Carlindo Menezes Santos foi comemorado de forma antecipada, nesta sexta-feira (5), embora na sua certidão de nascimento conste que seu natalício tenha sido em 6 de abril de 1929. O início dos festejos deve ter sido ideia dos amigos Tyrone Perrucho, ou quem sabe Edmundo Melo ou Gilbertão, com a devida influência do prefeito de Itabuna, Fernando Gomes, que criou o Carnaval antecipado.

A comemoração dos 90 anos de Carlindo contou com planejamento de cinco anos (no aniversário dos 85 anos), realizado com a casa cheia de amigos, como deverá acontecer amanhã. No almoço comemorativo de hoje a preocupação foi com a promoção dos festejos dos 95 anos, em alto estilo, como prometeram os promotores da festança antecipada deste ano.

E os amigos são tantos que, na verdade, os festejos poderiam se estender por mais dias sem perder a alegria contagiante, como diz Edmundo Melo. Quando a Ceplac lhe transferiu de Canavieiras foi buscar Carlindo para tomar conta de seu sítio mansão na ilha da Atalaia, onde permaneceu por muitos anos. “Ele me deixou lá só para não ficar distante de mim”, brinca Carlindo.

Na sexta-feira, como não podia deixar de fazer parte do cardápio, carne do sol de panela, da cozinha de Edmundo Melo, linguiças, coração e moela de frango, com o devido acompanhamento de cerveja gelada. Entre uma garfada e outra, atendia com atenção os telefonemas dos amigos que queriam saber da programação do aniversário, que segundo se apurou a maioria das amigas.

Carlindo festeja aniversário de 90 anos com festa de 4 dias entre os amigos

E não é todo o filho de Deus que consegue chegar aos 90 anos todo faceiro e cheio de saúde como Carlindo, que promete festa para dias seguidos – sábado, domingo e segunda-feira, além desta sexta. É sinal que tem muito o que comemorar em todos esses anos vividos e trabalhados nas mais diversas profissões, como pedreiro, barbeiro, cabeleireiro, sapateiro e carregador do cais do porto, atividade em que se aposentou.

E a aposentadoria pelo Iapetec, o Instituto de Aposentadoria e Pensões dos Empregados em Transportes e Cargas, incorporado à Previdência de hoje ainda é lembrada por ele, mesmo após os 38 anos passados. Afinal, trabalhou duro e ainda deu expediente nos campos de futebol jogando como médio volante do Flamengo de Canavieiras, ao lado do goleiro Wallace Mutti Perrucho, Tutu, Cavaquinho, Bené, Botinão, Nondas, Zé de Açucar, Arlindo, Carrapeto, dentre outros.

E foi justamente o futebol que lhe direcionou – deu uma mãozinha – para que ingressasse no Sindicato dos Estivadores, após algumas partidas assim que voltou de Ilhéus para Canavieiras. Arrependimento, mesmo, o não ter estudando, pois fugia de casa para jogar futebol, apesar das broncas e algumas surras tomadas de sua mãe, que preferia ver seu filho em outra carreira.

Fugir de casa era uma de suas especialidades, inclusive para as incursões noturnas na rua da Jaqueira, famosa à época por ser local de encontro da boemia nas famosas casas de diversão sexual. Aí, também, aproveitava para as farras com os amigos, com umas boas doses de cachaça e cerveja. A primeira já abominou, mas conserva o hábito da segunda, com alguma moderação.

Cachaça, aliás, nunca chegou a prejudicá-lo na saúde ou no trabalho, haja vista que não abria mão de tratar o organismo com três a quatro ovos com sal e pimenta-do-reino, bebidos crus, e comia cacau seco para afastar qualquer tipo de ressaca. Mas Carlindo nunca perdeu o humor com alguns inconvenientes causados pelas farras, pois sempre sabia se safar com a velha sabedoria popular.

Conta ele, que um dia ao sair do cais do porto resolveu parar num botequim no meio do caminho para tomar umas duas e, papo vai e papo vem, deu um gole na saideira. Aí foi quando começaram os problemas entre ele e sua bicicleta, que não se acertavam. E Carlindo não contou conversa: botou a bicicleta na cabeça, junto com as compras, e tomou o caminho de casa. Quando lhe perguntavam por que não estaria montado nela, simplesmente dizia: “Hoje ela está cansada e é o meu dia de carregar ela”.

Se tem uma pessoa que sempre gostou de diversão esse cara é o Carlindo, que sempre gostou de contar história dos acontecimentos com os amigos, o que faz até hoje, rivalizando com Tyrone Perrucho. Também é aficionado por filmes e diz, quando menino, que chegou a varrer o cinema de seu Batista, para garantir o ingresso nas sessões, em troca do serviço.

 

Author Description

admin

No comments yet.

Join the Conversation