O DIA DO CROSTINE

O prato foi elaborado para a cerimônia de formatura da turma e não poderia sair nada errado, para não estragar a festa

Amigos, amigos, negócios à parte. É assim que ouvimos, a título de conselho, das pessoas mais experientes, que não se podem misturar algumas coisas, sob pena de dar tudo errado e complicar o resultado. Na cozinha não é diferente: um tempero mal adicionado poderá causar um sabor estranho nos alimentos, que nem as pessoas de paladar nem tão apurado conseguirá comer, a não ser que esteja bastante faminto.

Faço esses prolegômenos para tentar explicar minha situação diante de tamanha responsabilidade ao escolher elaborar crostines como o prato a ser apresentado como conclusão do Curso de Gastronomia. E não poderia me valer da amizade com o professor Antônio Olímpio e montar um prato que não fosse especial, ainda mais se tratando de crostine de frutos do mar, da preferência do Mestre.

Para que tudo saísse perfeito, minha preocupação na escolha dos produtos, a começar pelo pão italiano – casca grossa – redondos, de tamanho pequeno para o consumo individual e dos frutos do mar. Para a receita, escolhi camarões médios frescos, lulas – o molusco – em anéis, moapém e mexilhões, escolhendo-os com todos os cuidados, com a finalidade de atender aos mais exigentes paladares.

Formatura da primeira turma da Maramata

Na cerimônia de conclusão do 1º Curso de Culinária de Peixes e Frutos do Mar (09-06-2011), promovido pela Universidade Livre do Mar e da Mata (Maramata) estariam presentes convidados das áreas política, econômica, hotelaria, marketing, jornalismo, dentre outros, e ninguém queria fazer feio. Confesso que do alto de toda a minha experiência, o chamado e indesejável frio na barriga aconteceu.

Estávamos ali ciente da grande responsabilidade de servir desde o prefeito de Ilhéus, à época Newton Lima (eu era o assessor geral de Comunicação), a convidados como o amigo José Adervan, Oséias Gomes, Marcos Flávio Rhem, jornalistas das cidades de Ilhéus e Itabuna, entre os demais convidados. Para a cerimônia, foram elaborados 14 diferentes pratos de frutos do mar – um para cada formando –, todos especialíssimos.

A cerimônia foram entregues os certificados de conclusão do curso, livros com as receitas elaboradas durante nas aulas práticas, realizadas homenagens e discursos do professor Antônio Olímpio, do prefeito Newton Lima e de alunos. Também não faltaram boas comidas e bebidas, degustadas com todo o prazer pelos convidados. Confira aí o Crostine, prato elaborado por mim [Walmir Rosário].

CROSTINE

INGREDIENTES

– 200 g de camarões frescos

– 200 g de lulas em anéis

– 200 g de moapém

– 200 g de mexilhões

– 1 pote de requeijão cremoso

– 50 ml de creme de leite fresco

– 20 ml de vinho branco seco

– uma cebola grande picada

– ½ tomate e ½ pimentão picados

– 2 colheres de sopa de curry

– pimenta biquinho

– pão italiano ou broa portuguesa (pães redondos)

– salsa ou coentro picadas

– sal e (do reino e de cheiro) a gosto

1ª ETAPA

Junte, numa panela rasa, a cebola, o tomate, o pimentão e metade dos cheiros verdes picados, refogue em azeite de oliva e acrescente os frutos do mar, na seguinte ordem: moapém, mexilhões e as lulas em anéis. Adicione o vinho branco e deixe evaporar o álcool. Incorpore o curry, a outra metade dos cheiros verdes e o camarão e refogue por três minutos.

2ª ETAPA

Misture, em outra panela, o creme de leite e o requeijão cremoso, e leve em fogo brando. Misture com os elementos da 1ª etapa, tempere com sal e as pimentas e reserve.

3ª ETAPA

Corte a “tampa” do pão e retire o miolo, colocando-o (o miolo) para torrar e faça uma farinha de pão. Coloque os elementos da 1ª e 2ª etapas misturados na cumbuca do pão, polvilhe com a farinha de rosca (pão) e leve ao forno para gratinar, por 20 minutos. Coroar com uma pimenta biquinho.

Sirva como entrada.

Author Description

admin

No comments yet.

Join the Conversation