Intendentes e Prefeitos (1891-2016)

Na República Velha (1891-1930) – Intendentes Municipais


Período Nome Origem

17.02.1890-1893 Antônio Salustiano Viana Cachoeira
04.01.1893-1896 Antônio Salustiano Viana
25.05.1896-1900 Antônio Salustiano Viana
01.02.1900-1903 Augusto Luiz de Carvalho Canavieiras
01.01.1904-1907 Antônio Salustiano Viana
01.01.1908-1910 Augusto Luiz de Carvalho Canavieiras
18.10.1910-1912 João Marques de Souza S. Francisco do Conde
10.06.1912-1915 João de Deus Ramos Salvador
01.01.1916-1917 Wulter Pereira de Castro Lençóis
24.02.1917-1918 Romero Estelita Cavalcanti Pessoa ?
08.01.1918-1920 Joaquim Dias da Costa Júnior Canavieiras?
10.01.1920-1920 João de Deus Ramos Salvador
16.03.1920-1920 José Mário Ramos ?
25.09.1920-1923 João Ribeiro Vargens Canavieiras
25.09.1923-1923 Augusto Peltier Canavieiras
30.11.1923-1924 José Gomes Frazão de Araújo Portugal
30.11.1924-1925 João Marques de Souza S. Francisco do Conde
01.01.1926-1927 Francisco Arnulpho Muniz Barreto Canavieiras
01.01.1928-1930 Francisco Mangieri Canavieiras

Na República Nova (1930-2016) – Prefeitos


Período Nome Origem

27.10.1930-1930 Synval Santos Reis Canavieiras
23.11.1930-1935 João de Melo Canavieiras
14.11.1935-1936 Osvaldo Oliveira Pinto Canavieiras
19.01.1936-1938 João de Melo Canavieiras
04.06.1938-1943 Adhemar dos Santos Menezes Itaparica
11.02.1943-1946 Josias de Azevedo Teixeira Castro Alves
24.02.1946-1946 Nelson Batista de Melo e Silva ?
13.05.1946-1947 Hostílio Cruz Canavieiras
01.09.1947-1948 Dionísio Viana Filho Belmonte
20.01.1948-1951 Edson Lopes de Castro Canavieiras
20.01.1951-1954 Osmário Cavalcanti Batista Esplanada
24.07.1954-1955 José de Araújo Granja ?
13.04.1955-1959 Lycurgo Ferreira Ramos Prado
20.01.1959-1959 Fabriciano Lopes Pereira ?
1959-06.04.1963 Osmário Cavalcanti Batista Canavieiras
07.04.1963-1967 Edmundo Lopes de Castro Canavieiras
31.01.1967-1971 João Perelo de Matos Canavieiras
31.01.1971-1973 Almir Oliveira Nonato Canavieiras
31.01.1973-1977 João Perelo de Matos
02.02.1977-1983 Antônio Almir Santana Melo Canavieiras
01.02.1983-1988 Boaventura Vidal Cavalcante Canavieiras
(1987) Wallace Mutti Perrucho Campo Formoso
01.01.1989-1992 Antônio Almir Santana Melo Canavieiras
01.01.1993-1996 Otoniel Mendes Cassimiro Neto
01.01.1997-2000 Antônio Almir Santana Melo
01.01.2001-2004 Boaventura Vidal Cavalcante
(2002-2003) Zairo Jacques Pinto Loureiro
01.01.2005-2008 Zairo Jacques Pinto Loureiro
01.01.2009-2012 Zairo Jacques Pinto Loureiro
01.01.2013-2016 Antônio Almir Santana Melo

Fonte: Atas da Câmara Municipal e do Conselho Municipal de Canavieiras.


 

Antônio Salustiano Viana nasceu em Cachoeira-BA, no dia 15 de setembro de 1857, filho de Antônio Salustiano do Nascimento Viana e de Maria Luíza de Guimarães Viana. Estudou na Faculdade de Medicina da Bahia, onde se formou em 08 de dezembro de 1881.

Em 17 de fevereiro de 1890, no governo estadual de Manoel Vitorino Pereira, foi nomeado primeiro intendente municipal de Canavieiras, e permaneceu no cargo até 1892. Depois foi eleito para os períodos: 1893-1896; 1897-1900 e 1904-1907. Também foi eleito deputado estadual.

Foi um dos fundadores da Loja Maçônica União e Caridade, escreveu uma monografia sobre o município de Canavieiras, construiu o prédio da Intendência Municipal (prefeitura) e a Cadeia Pública Municipal (atual biblioteca).

Por problemas de saúde, que padecera durante 18 anos, afastou-se da vida política, vindo a falecer em 30 de dezembro de 1930, aos 73 anos, deixando a viúva Etelvina da Silva Pinto Viana, quatro filhos e vários netos.


Augusto Luiz de Carvalho nasceu em Canavieiras-BA, no dia 29 de setembro de 1850, filho do português António Luiz de Carvalho e Antónia do Espírito Santo Carvalho. Coronel da Guarda Nacional, foi também presidente da Câmara Municipal, no Império, do Conselho Municipal, na República Velha e intendente municipal duas vezes: 1900-1903 e 1908-1910).

Nesse período, construiu o cemitério público (1892), o primeiro matadouro municipal, além de estradas e pontes. Do seu casamento com Sofia Lopes de Carvalho, foi pai de Alício e Aurélio Lopes de Carvalho. Faleceu no dia 05 de setembro de 1914, aos 64 anos.


João Marques de Souza nasceu em São Francisco do Conde-BA, em 24 de junho de 1879, filho de Tibúrcio Marques de Souza e Maria Domitilia Borges Marques de Souza. Engenheiro agrônomo formado em 1901, veio para Canavieiras em 1902, como auxiliar da Delegacia de Terras e Minas.

Em Canavieiras, casou-se com Isaura Cardoso Marques. Foi conselheiro municipal, vereador e intendente municipal de 1910 a 1912, interinamente, com o afastamento do Cel. Augusto Luiz de Carvalho por motivo de doença, e de 1924 a 1925, como intendente nomeado.

Presidente do Partido Democrático de Canavieiras (PDC) e da União Democrática Nacional (UDN), foi também provedor da Santa Casa de Misericórdia e delegado de terras.

Faleceu no dia 01 de janeiro de 1948.


João de Deus Ramos nasceu em 1872, possivelmente em Salvador, filho de Joaquim José Ramos. Após a formatura em engenharia, veio para Canavieiras, onde se dedicou à agricultura. Do seu casamento com Catarina Veloso Ramos, foi pai de João, Maria Alzina, Manoel e Joaquim Veloso Ramos; do casamento com Almira Gomes Ramos, foi pai de Edson, Edna, Jaime e Jose Gomes Ramos.

Além de intendente municipal (1912-1915 e 1920-1920), foi também deputado estadual em duas legislaturas, chegando a presidente da Assembleia Legislativa e, nessa condição, a governador do Estado interino, por alguns dias.

Era um homem poderoso no seu tempo, inclusive com polícia particular (os clavinoteiros). Um dos grandes momentos de sua vida, foi na enchente de 1914, quando abrigou em sua fazenda mais de 400 pessoas desabrigadas.


Wulter Pereira de Castro nasceu em Lençóis-BA, em 1855, filho de Antônio Teixeira de Castro. Embora de pequena escolaridade, era arguto e inteligente. Veio para Canavieiras como dentista prático ambulante. Do seu casamento com Macrina Maria de Castro (1870-1971), foi pai de João Alfredo e Eujassom de Castro. Como membro do Conselho Municipal, exerceu sua presidência por várias vezes e, posteriormente, a Intendência Municipal (1916-1917).

Coronel da Guarda Nacional, desfrutava de prestígio e popularidade. Faleceu no dia 14 de julho de 1952.


Romero Estelita Cavalcanti Pessoa nasceu por volta de 1890 e não era canavieirense. Foi nomeado intendente municipal de Canavieiras (1917-1918) em meio a turbulência política e permaneceu no cargo por um período de apenas oito meses. Nesse tempo restaurou as finanças do município, o prédio da intendência municipal, fundou o Jornal Oficial e iniciou as obras do cais do  porto e da praça Dr. Eduardo Campos, mas sua derrota na renovação do Conselho o levou à renúncia em 1918.

Faleceu em 1884.


Joaquim Dias da Costa Jr., bacharel em Direito, foi nomeado intendente municipal de Canavieiras (1918-1920) pelo governo do Estado numa época em que mandavam e desmandavam os “Arigofes”, grupo armado de clavinoteiros a serviço dos coronéis.


José Mário Ramos, também filho de Joaquim José Ramos e irmão do Dr. João Ramos, assumiu interinamente a Intendência Municipal por alguns dias em 1920.

 


João Ribeiro Vargens nasceu em Canavieiras, em 01 de junho de 1880, filho de João Elias Ribeiro e Carolina Ribeiro. Formado em Medicina, voltou a Canavieiras, mas se dedicou à lavoura de cacau.

Do seu casamento com a professora Luiza Edyale da Costa Vargens, foi pai de Olimpio Baldoíno (eng.), João Elias (médico) e José Maria da Costa Vargens, advogado e professor universitário.

Em 1916, organizou o Partido Progressista e fundou o jornal O Progressista para fazer frente ao status quo da política municipal. Em 1920, foi nomeado intendente municipal e logo a seguir eleito para o período de 1920 a 1923, período em que restaurou as finanças municipais e moralizou a política.


Augusto Peltier nasceu em Canavieiras. Foi eleito intendente municipal em 1923, mas a eleição foi anulada alguns meses depois.


José Gomes Frazão de Araújo nasceu em Portugal, em finais do século XIX, na Vila Nova de Famalicão, distrito de Braga, situada ao norte do país. Ainda jovem veio para o Brasil, radicando-se em Canavieiras, por volta de 1905, onde viveu por um período de mais de 30 anos.

Aqui desenvolveu atividades agrícolas e participou ativamente da política local, vindo a ser intendente interino num período compreendido entre 1923 e 1924, na vaga deixada por Augusto Peltier. Também adquiriu patente de Tenente-coronel comandante da Guarda Nacional, inscrito no 501º batalhão de infantaria, no estado da Bahia, segundo consta do Diário Oficial da União de 11 de fevereiro de 1909.

Já viúvo, numa viagem que fez a Portugal, sua terra natal, veio a falecer vítima de acidente de carro, no dia 24 de março de 1935.


Francisco Arnulfo Muniz Barreto nasceu em Canavieiras, no dia 15 de dezembro de 1891, filho do Cel. Cassimiro Muniz Barreto e Maria Clara Badaró Barreto. Estudou na Faculdade de Direito da Bahia, onde bacharelou-se.

Em Canavieiras, por algum tempo foi diretor do jornal O Progressista e membro do Partido Progressista. Em 1925 foi eleito intendente municipal para o período de 1926 a 1927.

Faleceu em 06 de agosto de 1980.


Francisco Mangieri nasceu em Canavieiras, filho do comerciante de origem italiana José Mangieri e Francisca Mangieri. Dedicou-se também ao comércio e foi eleito intendente municipal (1928-1930), sendo deposto pela Revolução de 1930.

Em seu governo aconteceu o Dia de São Bartolomeu na história de Canavieiras, o grande tiroteio de 24 de agosto de 1930 entre grupos conservadores e ditos progressistas.


Sinval dos Santos Reis nasceu em Canavieiras, em 30 de abril de 1902, filho do Cel. Francisco Ferreira dos Santos Reis e Ana Campo Grande Santos Reis. Foi um dos fundadores do Clube Caixeira Afrânio Peixoto, integrou a Loja Maçônica União e Caridade e foi diretor da Escola Frei Sampaio.

Junto com outros jovens políticos da época, apresentou um Manifesto à Nação contra a convocação militar para repressão à Revolução de 1930. Líder local da revolução vitoriosa, teve o nome indicado para prefeito (provisório), o primeiro da República Nova, no período de 27 de outubro a 22 de novembro de 1930.

Faleceu em novembro de 1992.


João de Melo nasceu em Canavieiras, em 26 de junho de 1888, filho de Tomás Cirilo de Melo e Adelaide de Carvalho Melo.

Após a Revolução de 1930, seu nome foi indicado ao interventor Leopoldo Amaral (01.11.1930-18.02.1931) para exercer o cargo de prefeito (1930-1935), sendo substituído durante 52 dias por Osvaldo Oliveira Pinto. Depois foi nomeado novamente para o período de 1936 a 1938.

Obras: Pavimentação das praças Eduardo Campos, João Pessoa e Av. Cel. Augusto Luiz de Carvalho; construiu prédio da Imprensa Oficial, os açougues municipais e adquiriu um gerador para a iluminação pública.

Faleceu em 15 de dezembro de 1962.


Osvaldo Oliveira Pinto nasceu em Canavieiras, filho de Bernardino Pinto, e assumiu o cargo de prefeito por 52 dias, do final de 1935 a início de 1936, até a nova nomeação de João de Melo.


Ademar dos Santos Menezes nasceu em Itaparica-BA, filho de Pedro Antônio dos Santos Menezes e Maria das Neves Correia de Menezes. Engenheiro agrônomo pela Escola de Agronomia de São Paulo, era casado com Antônia Santos Menezes e pai de Maria de Lourdes, que foi casada com Osvaldo Bruno.

Foi nomeado prefeito (1938-1943) pelo interventor da Bahia Landulfo Alves.


Josias de Azevedo Teixeira nasceu em Castro Alves-BA, em 26 de junho de 1903, filho de Plínio José Teixeira e Maria Azevedo Teixeira.

Em Canavieiras, trabalhou como comerciário de Samuel Benjamim & Cia. Casado com Idalina Mendonça Teixeira, foi pai de Iolanda Teixeira Costa e dedicou-se à agricultura. Também por muito tempo foi agente da Cia. De Navegação Baiana.

Em 11 de fevereiro de 1943, foi nomeado prefeito municipal (1943-1946), pelo interventor Pedro Aleixo (1942-1945), quando iniciou obras de construção do cais do porto e da rodovia Canavieiras-Vargito, e construiu o matadouro municipal.

Faleceu em 09 de novembro de 1979, em Salvador.


Hostílio Cruz substituiu Josias Teixeira na administração municipal, de 13 de maio de 1946 a 31 de agosto de 1947, nomeado pelo mesmo interventor Pinto Aleixo.


Dionísio Viana Filho nasceu em Belmonte, em 08 de agosto de 1900, filho de Dionísio de Abreu Viana e Maria Leonor de Oliveira Viana. Em Canavieiras foi sócio do irmão Demerval de Oliveira Viana.

Com a redemocratização do país, assumiu interinamente o cargo de prefeito (1947-1948), já no governo de Otávio Mangabeira (1947-1951), e procurou regularizar as finanças públicas.


Edson Lopes de Castro foi o primeiro prefeito eleito da República Nova. Nasceu em Canavieiras, no dia 26 de junho de 1907, filho do Cel. Armindo de Castro e Ana Lopes de Castro. Diplomou-se engenheiro civil em 31 de dezembro de 1931, pela Escola Politécnica da Universidade da Bahia.

Eleito prefeito de Canavieiras, tomou posse em 20 de janeiro de 1948, para o período de 1948 a 1951. Em seu governo foi pavimentada a Av. Otávio Mangabeira, construído o coreto da praça da Capelinha, que a denominou de Armindo de Castro.


Osmário Cavalcanti Batista nasceu em Esplanada-BA, em 16 de julho de 1922, filho de Ozeias Batista Filho e Maria Vicência Cavalcanti Batista. Ainda jovem veio para Canavieiras, casou-se com Dalcy Ferreira dos Santos, filha de fazendeiro, com quem teve os filhos Dalmário e Dilma, e se dedicou à lavoura cacaueira.

Entrou para a política e foi eleito vereador (1947-1951), prefeito (1951-1954), deputado estadual pela UDN – União Democrática Nacional (1955-1959) e novamente prefeito (1959-1963).

Político de caráter populista e clientelista, caiu nas graças do povo tornando-se um dos maiores fenômenos de votos da região. Inaugurou o Hospital Regional Régis Pacheco, o posto de puericultura e construiu o Ginásio que levou seu nome – um projeto do governo de Edson Lopes de Castro – hoje CEOB – Colégio Estadual Osmário Batista, e deu continuidade às obras do cais do porto.

Sua segunda administração foi de total descalabro e abandono da coisa pública.

Afastado da política, doente, faleceu em 25 de setembro de 2012, em Santo Antônio de Jesus/BA, onde estava residindo.


Lycurgo Ferreira Ramos nasceu no Prado-BA, em 16 de fevereiro de 1897, filho de José Ferreira Ramos e Porcina Maria do Espírito Santo. Bacharelou-se em Direito pela Faculdade de Direito da Bahia, em 1917.

Veio para Canavieiras, onde deu início às suas atividades profissionais. Depois, voltou ao Prado e casou com Maria Adélia Mascarenhas Ramos, em 1922.

Na política foi vereador (1948-1951) e prefeito (1955-1959), quando empreendeu a construção do Fórum, mas não conseguiu concluir; construiu parte do calçamento da Ab. Felinto Melo e equipou e inaugurou o Ginásio Osmário Batista, recém-construído.

Faleceu em Salvador em 1968.


Fabriciano Lopes Pereira foi prefeito interino em 1959.


Edmundo Lopes de Castro nasceu em Canavieiras, em 19 de setembro de 1899, filho do Cel. Armindo de Castro e Ana Lopes de Castro. Diplomou-se em Medicina, em 22 de dezembro de 1926, pela Universidade da Bahia. Por alguns anos clinicou em Belmonte, onde também foi prefeito (1937).

Casado com Elizabeth Vergne de-Vecchi Castro, foi o pai de Ana Lopes de Castro e Rouflan José de Castro.

Médico popular, foi coluna mestra da Santa Casa de Misericórdia de Canavieiras, onde atendia a quem o procurasse, sem nada receber.

Foi eleito prefeito de Canavieiras para o período de 1963 a 1967, no começo da Ditatura Militar. Faleceu em 11 de dezembro de 1973.


João Perelo de Matos nasceu em Canavieiras, em 01 de setembro de 1918, quando foi registrado como João Rodrigues de Matos, filho de Isidoro Rodrigues de Matos e Maria Perelo Costa. Ainda jovem, trabalhou nas empresas de Dionísio Viana Filho e Michel Drakulakis.

Em 1948, casou-se com Enelzita da Silva Matos e foi pai de Regina da Silva Matos e Sérgio Perelo de Matos.

Ingressou na política juntando-se ao grupo de Edmundo Lopes de Castro e Altamirando de Carvalho Filho, sendo eleito prefeito municipal para o  período de 1967 a 1971, quando alterou seu nome de João Rodrigues de Matos para João Perelo de Matos como era conhecido.

Em seu governo aconteceu a festa jubilar da Paróquia de São Boaventura, congresso comemorativo dos 250 anos da criação da freguesia (1968). Retornou ao governo, eleito para o período de 1973 a 1976, quando foi comemorado em Canavieiras o centenário do escritor Afrânio Peixoto (1976).

Faleceu em setembro de 2000.


Almir Oliveira Nonato nasceu em Canavieiras, no dia 18 de janeiro de 1942, filho de Almiro Gregório Nonato e Honorina Oliveira Nonato. Estudou no Colégio Estadual Osmário Batista onde foi líder estudantil. Em 1963, foi aprovado em concurso da Ceplac e em 1964 do Banco do Brasil.

Ingressou na política, foi eleito vereador (1967-1971) e depois prefeito (1971-1973). Em sua administração o foco central foram as questões sociais pelas quais pautava a sua ideologia política.

Pré-candidato a deputado estadual, faleceu às 6 horas da manhã do dia 9 de agosto de 1974, em acidente de carro no km 88 da rodovia Salvador-Feira de Santana, no município de Amélia Rodrigues, aos 32 anos de idade.


Antônio Almir Santana Melo nasceu em Canavieiras, no dia 05 de outubro de 1944, filho de Tancredo de Melo e Almira Santana Melo. Estudou no CEOB – Colégio Estadual Osmário Batista e em 1964 foi aprovado em concurso do Banco do Brasil.

De tradicional família de políticos, foi eleito prefeito por quatro vezes. A primeira para o período de 1977 a 1983, quando a legislação eleitoral da época criou a figura do vice-prefeito: Miguel Melo dos Santos. Nesse tempo, foi também presidente da União dos Prefeitos da Bahia.

De 1984 a 1985, foi diretor de Desenvolvimento Regional do Instituto de Cacau da Bahia, cargo do qual se desincompatibilizou em 1986 para candidatar-se a uma vaga na Assembleia Legislativa do Estado.

A segunda gestão foi de 1989 a 1992, com Aristóteles José do Nascimento como vice-prefeito. Aposentado pelo Banco do Brasil em 1994, foi nomeado assessor do deputado Luiz Eduardo Magalhães, e em 1995 foi nomeado assessor especial da Secretaria de Turismo e Cultura do Estado da Bahia, função que desempenhou até 1996.

A terceira gestão municipal foi de 1997 a 2000, com Paulo César Ramos de Carvalho como vice; e a quarta para o período de 2013 a 2016, sendo vice a médica Terezinha Niella Rosa Costa.

Almir Melo foi o prefeito que mais realizou obras em Canavieiras, com ênfase especial nos aspectos urbanísticos, à semelhança do seu tio-avô Augusto Luiz de Carvalho e seu tio João de Melo.


Boaventura Vidal Cavalcante nasceu em Canavieiras, em 20 de abril de 1951, filho de Hymerio Teixeira Cavalcante e Noécia Dantas Vidal Cavalcante. Estudou no Colégio Estadual Osmário Batista.

Em 1982, ingressou na política, sendo eleito para o período de 1983 a 1988, quando desenvolveu uma administração de caráter populista e clientelista. Por questões de saúde, afastou-se da administração, e foi substituído por Wallace Mutti Perrucho  (1987).

Retornou ao governo para o período administrativo de 2001 a 2004, com as mesmas características populistas e clientelistas. Contudo, foi afastado e substituído pelo vice Zairo Jacques Pinto Loureiro (2002-2003), retornando para finalizar o período administrativo (2004-2005).


Wallace Mutti Perrucho nasceu em Itinga, município de Campo Formoso-BA, em 02 de março de 1923, filho de Aderbal Perrucho e Marieta Mutti Perrucho.

Veio para Canavieiras, como militar, no final da Segunda Guerra Mundial, para patrulhar a costa. Depois, foi nomeado titular do Cartório do Registro Civil, onde permaneceu até a aposentadoria.

Na política filiou-se ao MDB – Movimento Democrático Brasileiro, em 1966, e foi eleito vereador por muitas vezes, inclusive sendo o mais votado. Por muitos anos, foi o diretor do jornal Tabu, fundado por seu filho Tyrone Perrucho e um grupo de amigos. No final de 1986, assumiu a prefeitura em razão do afastamento do titular Boaventura Cavalcante.

Faleceu em 27 de novembro de 2014.


Otoniel Mendes Cassimiro Neto nasceu em Canavieiras, no dia 01 de maio de 1957, filho de Clery Nery Cassimiro e Raimunda Cassimiro. Desenvolveu política estudantil no CEOB – Colégio Estadual Osmário Batista, e depois se filiou ao MDB – Movimento Democrático Brasileiro, aos 18 anos de idade.

Candidatou-se a vereador e foi eleito aos 19 anos, sendo então considerado o vereador mais jovem do Brasil (1977-1982), na primeira administração de Almir Melo, e depois foi reeleito várias vezes.

Candidato a prefeito, foi eleito e tomou posse em 01 de janeiro de 1993, para o período de 1993 a 1996. Em 05 de março de 2006 foi eleito para a ALAC – Academia de Letras e Artes de Canavieiras, ocupando a Cadeira nº 20, que tem Altamirando de Carvalho Filho como patrono.

Faleceu em 23 de março de 2013.


Zairo Jacques Pinto Loureiro nasceu em Canavieiras, no dia 27 de novembro de 1963, filho de Caio Peltier Loureiro e Adelízia Vieira Pinto. Formou-se em Engenharia Civil em 30 de dezembro de 1988, pela Escola de Engenharia da Universidade Católica do Salvador.

Ingressou na política em 2001 como vice de Boaventura Cavalcante e ocupou seu lugar com o afastamento do titular (2002-2003). Depois, candidatou-se e foi eleito por mais duas vezes (2005-2008; 2009-2012).

Dentre as obras realizadas no período de sua administração, estão em realce o prédio da Secretaria de Educação e o Velório Municipal.