ILHÉUS SEM PREFEITO, PENSE NUM ABSURDO!

A decisão do prefeito Mário Alexandre em não transmitir o cargo ao vice já repercute negativamente no Brasil e no exterior

Já dizia com muita propriedade o ex-governador da Bahia Octávio Mangabeira: Pense num absurdo, na Bahia tem precedentes”. E com toda a razão. Agora o absurdo foi protagonizado pelo prefeito de Ilhéus, Mário Alexandre (Marão), que viajou para os Estados Unidos e não transmitiu o cargo para o vice-prefeito José Nazal, que hoje não reza pela mesma cartilha do prefeito.

O absurdo é ainda maior por motivo do prefeito Marão se ausentar do país e deixar os destinos de Ilhéus entregues ao Deus Dará, sem a transmissão do cargo ao substituto ou sucessor legítimo, o vice-prefeito. No caso de Ilhéus, a situação se agrava devido às divergências entre Marão e José Nazal quanto à maneira de governar pelo povo e para o povo.

Conforme publicado constantemente nos veículos de comunicação, o prefeito Marão já teria escolhido o seu vice de fato, o secretário Municipal da Administração, Bento Lima, considerado o primeiro na ordem hierárquica. Pelos comentários, Bento é quem realmente dá as ordens, acatadas, inclusive pelo prefeito Marão, e toda a equipe administrativa do poder público municipal.

Mas o grande receio do prefeito Marão é de que, ao assumir, o vice-prefeito José Nazal tome medidas moralizadoras, atendendo decisão do Poder Judiciário baiano de reintegrar os 266 servidores municipais demitidos por decisão do juiz de 1ª instância. A decisão foi revertida pela desembargadora Síliva Zarif e o presidente do TJ, Gesivaldo Brito, até hoje não acatada pelo prefeito.

Às vésperas da viagem de Marão aos Estados Unidos houve uma tentativa de transmissão do cargo promovida por pessoas amigas do prefeito e do vice, mas dos dois não chegaram a um acordo. Por telefone, Marão tentou se desculpar de não ter feito a transmissão por falta de tempo e viajou aos states sem dar satisfações aos munícipes que o elegeram para o cargo maior de Ilhéus.

Diante da vacância do cargo, José Nazal tentou publicar no Diário Oficial de Ilhéus a ausência do prefeito, o que ensejava a posse do vice, mas a publicação não teria sido permitida pelo secretário da Administração, Bento Lima Neto. Contudo, o presidente da Câmara de Ilhéus, César Porto, o reconheceu como o primeiro mandatário na ausência de Marão.

Resta agora ao vice-prefeito tomar as medidas necessárias para dar comando ao Município de Ilhéus, exonerando os que teimam em desrespeitar a legislação e o Poder Judiciário.

Nem que seja por uns dias.

Author Description

admin

No comments yet.

Join the Conversation