DO PÚBLICO AO PRIVADO – MENINO RELIENTO

MENINO RELIENTO

O líder da oposição na Assembleia Legislativa da Bahia, deputado estadual Targino Machado ironizou o governador Rui Costa, que “assumiu” a paternidade do Aeroporto Glauber Rocha, em Vitória da Conquista, a ser inaugurado na próxima semana. Segundo o petista, a obra é de autoria do Estado, mas os números mostram outra coisa. Pelos dados da Secretaria de Aviação Civil (SAC), a União investiu R$ 74 milhões, dos R$ 105 milhões empregados no local.

Diz o deputado, que Rui Costa resolveu assumir a paternidade de obra que não é de autoria dele e explica: “Quando o filho é feio não aparece nem padrinho. Neste caso apareceu até pai para a criança. Bom seria ver o governador cuidando das rodovias estaduais que tanto estão matando pessoas, bem assim: que tal concluir o Centro de Convenções de Feira de Santana, obra abandonada pelos governos petistas há 13 anos?”, finalizou o parlamentar.

VIOLÊNCIA CRESCENTE

Em meio à elevação dos índices de violência que assola o município de Santo Antônio de Jesus, o deputado estadual Alan Sanches (DEM), protocolou ofícios na Secretaria de Segurança Pública e no Comando Geral da Polícia Militar, conclamando apoio para que se restabeleça a “paz” na cidade.

Informa o deputado que recentemente foram registrados seis homicídios em Santo Antônio. E, diante desse cenário, onde os moradores se aprisionam cada vez mais em suas casas. Alan Sanches pede,ainda, que o prefeito da cidade, Rogério Andrade, se volte para a promessa de campanha em que afirmou que a partir de janeiro, se eleito prefeito, bateria no peito e diria que segurança pública também é de responsabilidade do prefeito, do município.

ADVOCACIA PÚBLICA

O Fórum Permanente das Procuradorias Gerais dos Estados do Nordeste realiza, entre os dias 24 a 26 de julho de 2019, o III Encontro Nordeste de Advocacia Pública. O evento, promovido pela Procuradoria-Geral do Estado da Bahia com o apoio de todas as Procuradoria Gerais nordestinas e da Escola da Advocacia-Geral da União, será realizado no Gran Hotel Stella Maris, em Salvador, e traz como tema central Direito, Desenvolvimento Regional e Advocacia Pública’. Interessados em participar devem realizar suas inscrições no hotsite do evento www.enap2019.com.br .

O evento tem como público-alvo procuradores dos Estados e Municípios, professores, secretários de Estado, advogados da União e membros do Poder Judiciário e dos Tribunais de Contas. O Enap irá promover debates de temas atuais e relevantes para a Advocacia Pública.

CEPLAC I

Com hora marcada para morrer

Engenheiro agrônomo da Ceplac por 40 anos, Itatelino Leite já se aposentou mas continua preocupado com o futuro da instituição, que demonstra incertezas há cerca de 35 anos, quando parou de realizar concursos para a contratação de pessoal. Na década de 1980 a Ceplac tinha um quadro de pessoal em todo o Brasil bem próximo de 5 mil pessoas, entre pesquisadores, extensionistas, administrativos e operacionais.

Aos poucos, o pessoal passou a pedir a aposentadoria, enquanto outros simplesmente deixaram a instituição para cuidar dos seus negócios ou em busca de novas oportunidades no mercado privado. E o quadro de pessoal foi sendo reduzido e hoje chega a cerca de 1.800 funcionários. O grande problema é que até o final do ano praticamente todo o pessoal estará aposentado e não restará ninguém para apagar a luz.

CEPLAC II

A Ceplac, que já atuou como uma instituição de desenvolvimento nas regiões do Sul da Bahia e na Amazônia (Pará, Maranhão, Amazonas, Acre, Rondônia e Mato Grosso), foi a grande responsável pelo grande investimento em infraestrutura, implantando estradas, energia elétrica, telefonia, dentre outros serviços. Também atuou na área do conhecimento e é considerada o pai e mãe da Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc).

Reconhecida como um estado dentro de outro, investia nas regiões onde atuava fazendo retornar todo o dinheiro pago pelo produtor de cacau, produzindo conhecimento e riquezas. Incentivou a estrutura sindical, firmou parceiras com instituições da sociedade civil organizada, desenvolveu a economia regional com os milhões que pagava aos seus funcionários.

CEPLAC III

O reconhecimento principal que a região deve devotar à Ceplac é o cabedal científico que desenvolveu e ofereceu aos cacauicultores, transformando a economia cacaueira decadente numa das mais prósperas do Brasil. Os cacaueiros decadentes foram recuperados e introduzidas novas técnicas de manejo e variedades mais produtivas e competitivas.

Formou, ainda, a maior rede de pesquisa e extensão do Brasil numa só instituição, agindo junto a todos os segmentos produtivos, com uma equipe de cientistas nas áreas agronômicas, biológicas e econômicas. Deu apoio à implantação de cooperativas, que não foram à frente por motivos alheios à ajuda prestada, ensinou o cacauicultor a vasculhar o mercado e a diversificar a cultura. Se mais não fez, foi por falta de apoio, o que não justifica o descaso da região para com a Ceplac.

MUDANÇA CLIMÁTICA

Após ter feito uma visita a Gramado, no Rio Grande do Sul, o prefeito de Canavieiras ficou alegre e satisfeito com o que viu naquela cidade que tem sua economia calcada no turismo. Mesmo sem produzir uma só amêndoa de cacau é conhecida como a cidade dos chocolates, matando de inveja os baianos do sul Bahia e de outras regiões produtoras de cacau.

E com a impressão positiva que teve de Gramado, o prefeito Dr. Almeida já se dispôs a transformar Canavieiras na Gramado do Sul da Bahia, projeto que está em andamento, conforme disse aos agricultores presentes ao dia de campo na Fazenda Conjunto Analuana, em Era Nova. Segundo ele, Canavieiras ainda não atingiu o estágio da cidade gaúcha, mas falta pouco.

E a mudança já pode ser constatada por qualquer morador ou visitante, com a repentina queda da temperatura. Só falta agora uma forte geada e a neve cobrir a cidade.

Author Description

Walmir Rosário

No comments yet.

Join the Conversation