DO PÚBLICO AO PRIVADO

REGIÃO METROPOLITANA I

Os municípios de Itabuna e Ilhéus poderiam – apesar das diferenças e rivalidades – executar serviços considerados essenciais em conjunto, obtendo vários benefícios, a exemplo da redução de custos. Também poderiam dispor de instrumentos únicos para planejar, regulamentar e executar estudos sobre o desenvolvimento das duas maiores “metrópoles grapiúna”.

Mas essa ferramenta ainda não está disponível enquanto o governador do Estado não elaborar e enviar à Assembleia Legislativa o projeto de criação da Região Metropolitana de Itabuna, com a participação de municípios circunvizinhos (inclusive Ilhéus).

REGIÃO METROPOLITANA II

A região Metropolitana de Itabuna foi incluída na Constituição do Estado da Bahia, no artigo 61 das disposições transitórias, pelos então deputados Antônio Menezes Filho e Daniel Gomes, com o seguinte teor:

Art. 61 – Será editada, dentro de trinta dias da promulgação desta Constituição, lei complementar, que determinará a criação da região Metropolitana de Itabuna, composta pelos Municípios de Itabuna, Lomanto Júnior, Itapé, Ibicaraí, Floresta Azul, Firmino Alves, Santa Cruz da Vitória, Coaraci, Almadina, Itapitanga, Buerarema, Jussari, Santa Luzia, Arataca, Pau Brasil, Camacã, Itaju do Colônia e Itajuípe.

Parágrafo único – Lei determinará a criação, constituição e funcionamento dos seus Conselhos Consultivo e Deliberativo.

Apesar da Constituição mandar, nenhum governante obedeceu.

REGIÃO METROPOLITANA III

Anos atrás, os deputados Edmon Lucas e Paulo Câmera tentaram formalizar a criação da Região Metropolitana com a inclusão de Ilhéus, porém não conseguiram sensibilizar o governador Paulo Souto, tido como defensor desta região, mas que não deu bolas para a necessidade.

Agora, o assunto volta à baila, através de outro deputado grapiúna, o coronel PM Gilberto Santana Filho, que apresentou Indicação ao governador Jaques Wagner. A proposição de Gilberto Santana inclui o município de Ilhéus, como não poderia deixar de ser, e muda a denominação para Região Metropolitana do Cacau, no sentido de não ferir susceptibilidades e contemplar toda uma região que tem na cacauicultura sua principal matriz econômica.

REGIÃO METROPOLITANA IV

Pela Indicação do deputado estadual Gilberto Santana, foram excluídos da proposta anterior feita nas disposições transitórias da Constituição do Estado da Bahia de 1989 os municípios de Firmino Alves e Santa Cruz da Vitória.

Por outro lado, o deputado incluiu os municípios que não constavam anteriormente a exemplo de Ilhéus, Camacã, Aurelino Leal, Ibirapitanga, Maraú, Mascote, Canavieiras, Itacaré, São José da Vitória, Ubaitaba, Uruçuca e Una.

REGIÃO METROPOLITANA V

Com a Região Metropolitana, diversas serviços poderiam ser realizados nas diversas cidades envolvidas, sem que os municípios percam a autonomia administrativa. Um deles é o do transporte coletivo entre as cidades que fazem parte da região, evitando problemas como os atuais vividos por Ilhéus e Itabuna, notadamente nos limites dos municípios, no local onde estão instalados as empresas Makro e Atacadão.

ATRASADA, EU?

Já virou motivo de piada os constantes atrasos da procuradora-jurídica da Prefeitura de Itabuna nos eventos oficiais, quando aparece. No fórum, as queixas são outras, pela pouca importância que daria aos documentos processuais e determinações judiciais.

Recentemente, o prefeito de Itabuna, Capitão Azevedo, escapou de ser preso por ordem do juiz da Vara da Fazenda Pública, por descumprimento de uma dessas ordens. O mandado levou cerca de quatro meses dormindo nas gavetas da procuradora até que outro setor da Administração tomou conhecimento do fato e tomou as providências para evitar transtorno e desapontamento ao prefeito.

A última da procuradora foi chegar com atraso ao sepultamento do irmão do prefeito, apesar de a cerimônia começar com certo atraso. Hilariante a sua carreira para chegar a tempo.

ONDE ESTÁ WALLY

O personagem criado pelo ilustrador britânico Martin Handford, Onde Está o Wally? dá mais uma pista de onde está escondido. Ao invés do poder de camuflar em meio às diversas figuras e cenas bizarras do desenho, resolveu dar um final diferente à história. Agora, resolveu fechar todas as vidraças que emprestavam transparência à Secretaria que ocupa.

Pra começo de conversa, mandou colocar imagens plotadas de Itabuna em todas as vidraças da sala de sua secretária, comportamento oposto aos seus antecessores. A única e grande dúvida que atormenta os que procuram a secretaria de Governo é se o secretário se esconde do povo que o procura ou mandou tapar as vidraças para ninguém saber quando e onde está presente.

NOVA CALIFÓRNIA

Uma grande caravana formada por mais de 20 carros invadiu nesta tarde de sexta-feira o bairro Nova Califórnia, na divisa de Itabuna e Ilhéus. O aparato chamou a atenção dos moradores, desacostumados a ver tantos carros novos de uma só vez.

Passado o susto, a população do bairro tomou conhecimento dos ocupantes da caravana, formada pelos prefeitos de Ilhéus, Newton Lima, de Itabuna, Capitão Azevedo, além dos deputados estaduais João Bonfim, Coronel Gilberto Santana, secretários e assessores das duas prefeituras. Eles buscavam conhecer o bairro e os marcos (da discórdia) dos limites entre as duas cidades.

I CAÇADA DE LOBISOMEM

Com a proximidade da Semana Santa, um grupo composto por 20 pessoas da comunidade de São José, na rodovia Ilhéus-Uruçuca, partiram mata adentro na boca da noite de domingo passado (10) para caçar Lobisomem.

O certo é que os destemidos caçadores chegaram de volta ao amanhecer de segunda-feira (11), cansados e frustrados por não terem encontrado um só desses bichos, apesar do esforço empreendido.

Os caçadores de Lobisomem, reforçados com uma matilha de 15 cachorros bons caça, vistoriaram cinco cemitérios, umas 10 encruzilhadas, sete grutas encravadas nas encostas de mata, onde clareava a lua cheia e outros locais preferidos pelo meio bicho, meio homem, e sequer foram acuados pelos cachorros.

Para não perder a viagem, os Caçadores de Lobisomem da comunidade de São José “sentaram praça” em duas biroscas nas fazendas das redondezas, e fizeram um estrago no estoque de cachaça “rinchona”, e tira-gostos de jabá e imitação de mortadela.

Após o cansaço e a ressaca, a turma promete “arrebanhar” mas uns 10 homens de coragem para voltar ao ataque ao Lobisomem na quaresma que vem.

HAJA CORAÇÃO

Finalmente acabaram-se as cismas entre o secretário estadual da Saúde, Jorge Solla, e o provedor da Santa Casa de Misericórdia de Itabuna, Renan Moreira. No dia 7 de abril passado, em Salvador, foram acertadas as bases para ampliar os serviços de cardiologia prestados pela Santa Casa, que não passavam de reles R$ 100 mil.

Agora, a renovação do contrato foi acertada em mais de R$ 500 mil, permitindo a realização de diversos procedimentos em número bem maior que antes. Mesmo assim, a saúde de Itabuna ainda padece de outros males, cujos medicamentos são conhecidos mais não aviados no receituário da Secretaria Estadual da Saúde.

Melhor prevenir do que remediar, diz o ditado.

BOA NOTÍCIA

O crescimento das solicitações de crédito à Agência de Fomento do Estado da Bahia (Desenbahia), neste primeiro trimestre, revela otimismo e intenção de realizar novos investimentos por parte do empresariado baiano.

No trimestre, as solicitações de financiamento aumentaram 114% em relação ao mesmo período do ano passado. Em 2011, as propostas de financiamento totalizaram R$ 253 milhões. O otimismo do empresariado indica preparação para um cenário de crescimento da economia e aquecimento do mercado interno.

O setor que registrou maior procura por financiamento foi o Comércio e a maior demanda pela linha CrediFácil para capital de giro, com juros a partir de 0,94% ao mês e prazo de até 18 meses.

CONTAM POR AÍ…

Manuel Leal de Oliveira foi uma figura ímpar do Sul da Bahia. Eclético e desinibido, sempre esteve presente nas mais diversas ocasiões relevantes da política e da economia regional. Cacauicultor (chegou a ser secretário do Conselho Consultivo dos Produtores de Cacau-CCPC), fiscal do INSS, empresário em diversos ramos, teve uma grande paixão: o jornalismo.

Dos jornais estudantis como A Terra ao jornal A Região, Manuel conseguiu chegar ao clímax, influenciando o pensamento e a política regional. Mas nunca deixou de ser o fiscal do INSS, fiscalizando empresas daqui e outras cidades baianas.

Numa dessas viagens tinha como motorista o seu fiel escudeiro José Emanoel Aquino, o conhecido “Cambão”. Ao se aproximar do posto da Polícia Rodoviária Federal, em Itamaraju, o policial fez o sinal para o veículo parar.

Assim que o policial se aproximava do carro, Manuel Leal sacou do bolso da camisa uma carteira de couro com as armas da República contendo sua carteira funcional do INSS, e brandiu:

– Fiscal federal do INSS. Estou a serviço! – exclamou.

No que o policial rodoviário não se intimidou e retrucou em quente:

– E que dizer que eu estou aqui brincando, não é…Favor passar os documentos do veículo e do condutor – pediu.

Como não estava acostumado a ser retrucado com veemência, Manuel continuou a viagem até Medeiros Neto sem dar uma palavra com “Cambão”.

Author Description

admin

No comments yet.

Join the Conversation