Divisão da partilha provoca guerra na prefeitura de Itabuna

Agora vai se saber quem manda mais na Prefeitura de Itabuna

O clima esquentou no Centro Administrativo Firmino Alves, em Itabuna, com o arrumar das malas do prefeito Capitão Azevedo. Pelo que contam os mais chegados, foi instalada uma guerra fratricida entre o secretariado, no sentido de cada um manter suas mordomias, bem como as regalias dos assessores e apaniguados.

O primeiro tiro foi dado pela “prefeita” Joelma, que mandou decepar a cabeça dos apaniguados e dos desafetos, começando pela demissão de contratados e exoneração dos ocupantes de cargos de confiança. Mas o balaio de maldades não ficou só nisso e as ricas vantagens concedidas também foram “passadas o facão”, promovendo estragos sem precedentes.

Mas isso foi só no primeiro dia, pois os que se consideraram agredidos e castrados nas suas sinecuras procuraram os outros poderosos secretários que partiram para cima do Capitão Azevedo e exigiram que as medidas da “prefeita Joelma” fossem barradas, imediatamente. Essa reunião foi bastante tensa, com troca de pesadas farpas e xingamentos por todas as partes. No meio do tiroteio, Azevedo ficou sem saber o que fazer.

Agora, ninguém sabe como é que vai ficar o puxa e estica das decisões de demissões e exonerações, além das “babinhas” incluídas na folha de pagamento. Dizem que tem apaniguado, a exemplo do motorista do prefeito, o todo-poderoso estrategista político soldado Pinheiro, que não sabe onde mais colocar o dinheiro recebido por uma função que nunca exerceu. E olha que esse é só um exemplo bem próximo de Azevedo.

Pelo que contam, vai sobrar “caco” de Função Gratificada (FG) pra tudo quanto é lado. Sem levar em conta os “cargos enxertados” para os considerados “amigos do rei – ou rainha”. Vale a pena uma visitinha do Ministério Público para  as bandas do Banco Raso, onde está localizado esse riquíssimo reino do faz de conta.

Author Description

Walmir Rosario

No comments yet.

Join the Conversation