COVER DE SÍLVIO SANTOS É SUCESSO TAMBÉM COMO MICROEMPREENDEDOR

Emerson Marques fatura como Sílvio Santos

Emerson Marques fatura como Sílvio Santos

Um paletó alinhado, o microfone sobre a gravata, uma peruca, um palco e muita inspiração na hora de imitar um dos maiores ícones da comunicação brasileira. O que começou como diversão de infância tornou-se um bom negócio para Emerson Marques, agora com 39 anos, cover do apresentador de televisão Sílvio Santos. “A imitação sempre foi uma vocação natural que eu tive, até que, um dia, conheci profissionais lucrando com a brincadeira e resolvi criar o meu personagem cover também”, conta. “Fui treinando em casa, no carro e, com o tempo, comecei a usar em eventos”, continua. O Silvio Santos de Ilhéus destaca que, com o passar do tempo, a procura por seu trabalho foi aumentando, especialmente por grandes empresas, e ele começou a sentir a necessidade de regularizar sua atividade.

Em maio deste ano, procurou o Balcão do Empreendedor em Ilhéus, no sul do estado, para se tornar Microempreendedor Individual (MEI). Foi por lá que Emerson começou a organizar todo o aspecto burocrático para a prestação de sua atividade, afinal, existe uma enorme diferença entre a condição financeira do “Homem do Baú” de verdade e o seu imitador. “A orientação do Balcão do Empreendedor foi importante para que eu assegurasse alguns direitos trabalhistas como INSS, seguro de saúde, aposentadoria por invalidez, além de facilidades de obtenção de créditos”, pontua.

Agora formalizado como MEI, ele paga uma taxa de R$ 39 (R$ 33,90 de INSS e R$ 5 de ISS) mensais para assegurar todos os benefícios. Desde que profissionalizou o seu talento, Emerson Marques tem se apresentado em festas, feiras e convenções, para diversos públicos pelo interior da Bahia e nos Estados do Paraná, São Paulo, Sergipe, Mato Grosso e Santa Catarina. A sua mais recente apresentação foi para os conterrâneos, no Centro de Convenções de Ilhéus. Ele foi uma das atrações na apresentação da Campanha de Natal deste ano, e saiu do palco bastante aplaudido pelas “colegas de trabalho” que estavam na platéia.

Emerson reconhece que, com a regulamentação de sua atividade como MEI, foi possível ampliar a clientela e lucrar muito mais. “A minha renda aumentou 100%. Tenho me apresentado em vários eventos importantes e sendo reconhecido como um pequeno empresário”, ressalta.

Lei Geral
A figura do MEI foi instituída pela Lei Complementar nº 128/2008, que alterou a Lei Geral da Micro e Pequena Empresa (Lei Complementar nº 123/2006). “Essa é a grande contribuição que a Lei Geral pode dar às pessoas: oportunidade com direitos adquiridos”, destaca o gestor do projeto Território da Cidadania Litoral Sul, José Carlos Oliveira, um dos responsáveis pela implementação da Lei Geral no sul da Bahia.

Ele lembra que 18 municípios da região já regulamentaram a legislação – com aprovação no legislativo e sanção do executivo. Desses, Itabuna, Ilhéus, Canavieiras e Camacã já criaram Salas do Empreendedor e nomearam agentes de desenvolvimento. “O trabalho deverá ser concluído até 2015. Por isso, a importância de reunir e sensibilizar os diversos segmentos que, ao aprenderem os mecanismos de operacionalização da lei, contribuirão para alavancar o crescimento econômico e social com geração de emprego e renda nos municípios em nossa regional”, explica o gestor.

Referência na Bahia, o Balcão de Ilhéus, somente no primeiro semestre deste ano, totalizou 1.434 atendimentos aos Microempreendedores Individuais do município, que fazem parte de um universo de 4.027 MEI em toda cidade. Do total de atendimentos, foram deferidas 617 guias de pagamentos, 73 Declarações de Faturamento Anual (DASN), 179 alvarás para Microempreendedores Individuais (MEI), 166 ações de formalização de empreendimentos, 24 emissões do cartão de CNPJ, 38 certificados federais dos MEI e sete certidões negativas do INSS para o MEI. A estes números acrescentam-se o total de 288 consultorias e 42 alterações cadastrais.

Author Description

Walmir Rosario

No comments yet.

Join the Conversation