Corrupção e incompetência atrasam Porto Sul

O Tribunal de Contas da União (TCU) detectou, recentemente, uma série de problemas nos quatro lotes do trecho baiano da ferrovia, exatamente a que liga Barreiras a Ilhéus. Esse trecho da Ferrovia de Integração Oeste-Leste (Fiol), cujo custo previsto é de R$ 2 bilhões, já apresenta distorções enormes, mesmo estando a obra no início. Pelos números do TCU, R$ 21 milhões é conta para a “viúva” pagar, sem qualquer serviço prestado.

Já na ponta final, em Ilhéus, o problema é outro: atraso na liberação da área do Porto Sul. O primeiro local escolhido foi recusado pelo Ibama devido a problemas ambientais. O Segundo, em fase de desapropriação, faltou competência aos representantes do Governo do Estado em conversar com os ocupantes (proprietários e posseiros) para facilitar a negociação, que encontra a resistência de diversos movimentos sociais.

Enquanto isso, o projeto atrasa, prejudicando a geração de emprego e renda e, consequentemente, a economia regional. Falta trato em negociar com as partes aos homens do Governo da Bahia.

Author Description

Walmir Rosario

No comments yet.

Join the Conversation