BA-001 X TRANSOURICANA – QUAL A NECESSÁRIA?

Walmir Rosário*

Rodovias sempre são bem-vindas, afinal, representam um dos mais importantes vetores de desenvolvimento de uma determinada região, estado, país, por facilitar o escoamento de pessoas e riquezas. Quanto mais, melhor, mas nesses tempos bicudos em que a escassez de recursos é gritante, o Estado (ente público em qualquer das suas instâncias) deve primar pelo planejamento e sensatez.

Recentemente, ouvimos em um programa de rádio o governador Rui Costa perguntar ao secretário estadual de Infraestrutura sobre as providências que teria tomado sobre a continuação da Rodovia BA-001, no trecho que ligaria Canavieiras a Belmonte. Como resposta, ouvimos que as providências já estão sendo tomadas para a elaboração do projeto, como se fosse já a construção.

Essas são as práticas dos governos petistas para enganar a população nos períodos próximos às eleições. Mesmo quando os recursos são do Governo Federal essa informação é omitida: criadores useiros e vezeiros das tão em voga fake news. A verborragia governamental baiana promete e não cumpre, a exemplo da duplicação de parte da rodovia Ilhéus-Itabuna, num dos seus rompantes.

Não é preciso ir longe para desnudar as promessas do governador. Basta dar um pulo na Rodovia BA-270, que liga Canavieiras à BR-101, para verificar, in loco, as péssimas condições do asfalto, mais parecido com uma tábua de pirulito. Não cuida do que foi feito em administrações passadas e ainda tece promessas do que dificilmente fará. Mesmo que faça, faz de forma equivocada, por não ser a grande necessidade a BA-001.

A mais premente necessidade dos municípios de Canavieiras e Belmonte é a pavimentação da BA-274, a conhecida rodovia Transouricana, abandonada em sua manutenção pelo governo petista baiano, relegando a obrigação para a prefeitura. É um grande descaso com uma população que produz riquezas nos seus 78 quilômetros, 65 deles no município de Canavieiras.

A rodovia Transouricana corta o município nos locais onde são produzidas riquezas no setor agropecuário, com uma das maiores bacias leiteiras e gado de corte; o berço da cacauicultura nas terras férteis do rio Pardo; nas plantações e beneficiamento de mandioca; extração de piaçava; nas grandes áreas plantadas com café Conillon; plantações de mamão e diversos produtos hortifrutigranjeiros.

Como argumento para a abertura do trecho da BA-001, o incremento do turismo, uma falácia, haja vista que as duas cidades praticam – e têm vocação – para o turismo de veraneio, não podendo se aventurar além desse segmento. E pelo simples motivo: a implantação da Reserva Extrativista (Resex), que extirpou todos os grandes investimentos nos municípios de Canavieiras e Belmonte.

Os grandes investidores dessas áreas foram lesados com a criação da Resex – um modelo de atraso do povo beiradeiro, condenado a viver sob a égide das idiossincrasias marxistas de anulação da satisfação das necessidades – e transferiram seus projetos para Ilhéus, Itacaré e Maraú. Enquanto isso, a Resex foi aparelhada pelos petistas, que distribuem migalhas, esmolas aos nativos e os sabidões viajam mundo afora, como de praxe.

Tão somente pela Resex foi anulada todas as possibilidades de incremento do turismo nos dois municípios, situação que perdurará enquanto persistir o modelo atual que afugenta os investimentos. Por outro lado, a pavimentação da Transouricana poderá incrementar o turismo rural, pois sedia a primeira plantação de cacau da Bahia (Fazenda Cubículo), a enorme Lagoa do Rocha, dentre outros equipamentos rurais.

Volto a repetir que não tenho nada contra a ligação de Canavieiras a Belmonte pela BA-001, apenas alerto para as conveniências de hoje, são bem diversas das de tempos passados, quando a situação era bem favorável, por não ter os obstáculos. Tinham razão os governadores Luiz Viana Filho, Antônio Carlos Magalhães, Roberto Santos e Paulo Souto, ao defenderem a rodovia, dadas as circunstâncias da época.

E já que falamos de recursos escassos, o Governo da Bahia sempre usou como argumento a falta de dinheiro para não executar a obra da BA-274. Lembro-me bem que o prefeito de Canavieiras à época, Almir Melo, foi chamado à governadoria para ajudar na elaboração de condições favoráveis à construção da rodovia. E uma das propostas foi a execução da obra em parceria com a Veracel, que bancaria grande parte dos recursos.

Hoje, ainda, tenho certeza que continua o interesse da Veracel em participar desse consórcio, tendo em vista que parte dos municípios de Belmonte e Canavieiras são ocupados com a plantação de eucaliptos. A título de lembrança, a omissão do Governo do Estado na manutenção da rodovia Transouricana onera, em muito, o custo de operação da Veracel, que foi obrigada a assumir parte de manutenção da rodovia.

É verdade ser uma tarefa hercúlea fazer o governador Rui Costa desistir dessa fake news e iniciar as tratativas com a Veracel para, em parceria, pavimentar a BA-274, obra de custo-benefício infinitamente superior. Agindo com racionalidade, investiria melhor os parcos recursos do Estado nas atividades produtoras e riquezas de Belmonte e Canavieiras, por onde os turistas trafegariam com todas as comodidades.

É apenas uma questão de bom-senso construir uma rodovia com o leito pronto e que praticamento não tenha grandes obras de arte e ainda atenda aos mais diversos segmentos produtivos, do que investir numa rodovia caríssima, que atravessará muitos manguezais e cuja finalidade é duvidosa, desprezando os segmentos produtivos, inclusive o turístico.

*Radialista, jornalista e advogado.

Author Description

Walmir Rosário

There are 1 comments. Add yours

  1. 10th outubro 2019 | Pedro Carlos says: Responder
    É ISSO AÍ. B "BROCOU"!

Join the Conversation