Bamin inicia capacitação

Aula inaugural do Mina de Talentos realizada em Ilhéus

A Bahia Mineração (Bamin) e o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) iniciaram quinta-feira (28), pela manhã, no auditório da Rádio Educadora, em Caetité, e à tarde, no Centro Cultural de Guanambi (municípios localizados a aproximadamente 650 quilômetros de Salvador), as primeiras aulas do programa Mina de Talentos, cuja meta é qualificar profissionalmente seis mil e quinhentas pessoas que residem em cidades do sudoeste e do litoral sul da Bahia. A ideia é que esses trabalhadores atuem nas fases de construção e operação do projeto Pedra de Ferro, da Bamin. Na última terça-feira, a Bamin e o Senai realizaram a aula inaugural do programa em Ilhéus.

“Fizemos uma aula inaugural do Mina de Talentos em Ilhéus e estamos realizando essa abertura do programa em Caetité e em Guanambi, buscando unir simbolicamente esses municípios, nesse trajeto de qualificação profissional,  antes mesmo da implantação do projeto Pedra de Ferro”, explica Clovis Torres, vice-presidente executivo da Bamin.

Considerado um dos pilares do desenvolvimento das regiões sudoeste e sul da Bahia, o projeto Pedra de Ferro envolve a construção de uma mina, que vai  produzir 19,5 milhões de toneladas de minério de ferro por ano, e de uma usina de beneficiamento desse minério, ambas em Caetité, além de um terminal portuário de uso privativo da empresa, a ser construído em Ilhéus. Para viabilizar o programa Mina de Talentos, foram criados centros de formação em cidades localizadas na área de abrangência do projeto, a exemplo de Caetité, Guanambi, Malhada, Pindaí e Ilhéus.

“É importante lembrar que a maioria dos qualificados será aproveitada nas fases de construção e operação do projeto da Bamin. Serão mais de cinco mil vagas em cursos de capacitação para a fase de construção e quase mil vagas para os cursos voltados para a fase de operação”, informa Torres.

Segundo ele, a Bamin  pretende tornar-se  uma das mineradoras mais modernas do mundo, podendo transformar a Bahia no terceiro maior produtor de minério de ferro do Brasil. “O Mina de Talentos demonstra visão social, já que a empresa inicia um programa de qualificação profissional antes mesmo da implantação de seu empreendimento”, avalia.

Torres afirma ainda que o Brasil vive uma fase de crescimento, mas há uma grande carência de mão-de-obra qualificada.“O Mina de Talentos surge exatamente para garantir condições de contratar a mão de obra local. Queremos construir uma sociedade economicamente sustentável no interior do estado”, afirmou.

Para o gerente regional do Senai para o Sul e Sudoeste da Bahia Jurandir Hendler, o Mina de Talentos já pode ser considerado o maior programa de qualificação profissional realizado pela iniciativa privada na Bahia, neste início de década. Além disso, o  programa não chama atenção apenas pela quantidade de pessoas que serão capacitadas, mas principalmente pelo investimento, que será de R$ 16,7 milhões até 2013.

A cerimônia de abertura do programa em Caetité contou com as presenças da secretária de Ação Social e primeira-dama do município de Caetité Cléa Montenegro – representando o prefeito José Barreira, e do superintendente de Economia da Secretaria do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte do Estado (Setre) Helbet Lisboa, representando o governador Jaques Wagner, do deputado federal Arthur Maia e da deputada estadual Ivana Bastos, além do vice-presidente executivo da Bamin, Clovis Torres. Em Guanambi, estiveram presentes os prefeitos de Guanambi, Charles Fernandes, e de Pindaí, Lourivaldo Teixeira, além dos citados Helbet Lisboa, Arthur Maia e Ivana Bastos.

Etapa de Construção

Entre os dias 15 e 24 de março de 2011, a Bahia Mineração recebeu inscrições para os processos de seleção dos cursos do programa Mina de Talentos em postos abertos nas cidades de Caetité, Guanambi e Ilhéus. Para cada etapa do programa serão realizados cursos específicos. Em uma das etapas, haverá capacitação em áreas definidas como de “Movimentação Terra e Carga”, “Obra Civil”, “Montagem Elétrica e Mecânica” e “Técnicas Administrativas”.

Na área de “Movimentação Terra e Carga”, por exemplo, alunos da região de Caetité e de Ilhéus foram selecionados para participar dos cursos de formação de motorista de caminhão, operador de pá carregadeira, operador de escavadeira hidráulica, operador de motoniveladora, operador de retroescavadeira e operador de rolo vibratório, entre outras. As funções são diversas, algumas com exigência do primeiro grau, outras tendo como pré-requisito o segundo grau completo.

Na área de “Obra Civil”, foram também selecionados alunos na região de Caetité e de Ilhéus. Os cursos oferecidos são armador de ferragem, auxiliar civil, carpinteiro, pedreiro, pintor) e marceneiro industrial.

A área de Montagem Elétrica e Mecânica,  por sua vez, terá cursos de auxiliar de montador, auxiliar de mecânica, caldeireiro, encanador industrial, mecânico ajustador, mecânico montador, montador de estrutura metálica, soldador de estrutura, auxiliar de eletricista, eletricista industrial  e aperfeiçoamento de montador.

Para a primeira fase (de “Construção”) foram escolhidos também alunos que farão o curso de técnicas administrativas.

Etapa de Operação

Novas opções de cursos serão oferecidas para os trabalhadores que vão atuar na fase de “Operação” do projeto Pedra de Ferro. Nessa nova fase, os profissionais serão qualificados para trabalhar na mina, usina, ferrovia ou porto. Novos critérios de seleção serão aplicados: prova de conhecimentos, avaliação psicológica, dinâmica de grupo, comprovante de residência na região, desempenho escolar, entrevista e análise curricular. Poderão se inscrever todos os trabalhadores que atuarem na fase de construção,pois é permitido participar novamente da seleção.

Para os que vão se qualificar para trabalhar na Mina de Caetité haverá vagas para operador de caminhão fora de estrada, operador de equipamentos auxiliares e de apoio, operador de escavadeira e pá carregadeira, operador de perfuratriz, manutenção elétrica de equipamentos de mina, manutenção mecânica de equipamentos de mina e auxiliar de mineração.

Para quem pretende se qualificar para trabalhar no Porto, serão oferecidas vagas para manutenção e operação portuária, manutenção elétrica industrial, auxiliar portuário. Exige-se o segundo grau completo entre os critérios de seleção.

Outras vagas serão oferecidas para quem quer trabalhar na Usina: manutenção elétrica industrial;  manutenção mecânica industrial; operação e manutenção industrial; auxiliar de produção.

Por fim, serão selecionados os profissionais que vão operar a ferrovia. Para isso foram criados os seguintes cursos de capacitação: manutenção elétrica de locomotivas, manutenção eletroeletrônica; manobrador ferroviário; mantenedor de via; formação de maquinistas; manutenção mecânica de locomotivas; manutenção mecânica de vagões.

Alunos têm até 66 anos: começo de uma nova história

Na última terça-feira (26/4), em Ilhéus (BA), ao comparecerem à aula inaugural do programa, proferida pela professora da Faculdade de Ilhéus e historiadora Maria Luiza Heine, centenas de alunos tiveram acesso à essência do programa Mina de Talentos: a atitude cidadã foi tema não somente da aula, mas também mereceu destaque de quase todas as autoridades presentes.

Com 10140 inscritos para cursos diversos, dos quais 5753 somente em Ilhéus, o Mina de Talentos terá alunos como o jovem Elismar Alves dos Santos, de 20 anos, e o aposentado Edvaldo Coelho, 66. O primeiro é estagiário em uma unidade de saúde de Ilhéus e fará o curso de marcenaria. O segundo trabalhou como mecânico de caminhões durante mais de 40 anos, mas ainda se mostra com energia para aprender. Dois extremos nas idades, mas com o mesmo sonho de qualificar-se para o mercado de trabalho.

Elismar vê o Mina de Talentos como “uma grande oportunidade que está surgindo na região” e diz ter aprovado a ligação da proposta com a questão da cidadania. “De nada vale o profissional trabalhar com destreza e não ser ético e honesto”, afirma. Edvaldo, que se matriculou no curso de auxiliar civil, surpreende pela vontade de trabalhar. “Tenho garra, saúde e disposição. Acordo todos os dias às 5 horas da manhã”, assegura o aluno.

“Quando trouxemos para a Bahia o nosso empreendimento, tínhamos a convicção de que estávamos trazendo um novo modo de pensar”, declarou Clovis Torres, vice-presidente da Bamin. “A nossa meta, desde sempre, além de gerar retorno para os nossos acionistas, já que o investidor precisa ser recompensado, era contribuir para a criação de uma sociedade economicamente sustentável no interior da Bahia”.

Para a Chefe da Casa Civil do Governo do Estado Eva Chiavon, o Mina de Talentos demonstra que a Bahia Mineração não quer apenas formar trabalhadores. “O programa não separa a construção da cidadania da qualificação profissional e da viabilização do acesso ao trabalho”, destacou.

A partir do próximo dia 2, quando as aulas regulares do Mina de Talentos tiverem início, centenas de trabalhadores das regiões de Ilhéus, Caetité e Guanambi passarão a obter a qualificação tão exigida pelo mercado. Para a maioria deles, é o começo de uma nova história.

Author Description

Walmir Rosario

No comments yet.

Join the Conversation