ARTISTA PLÁSTICO SE INSPIRA NAS BELEZAS NATURAIS

A cultura – em suas várias expressões e linguagens – é uma das manifestações naturais do canavieirense. Nele, está presente saberes como a música, a dança, a literatura (prosa e verso), a gastronomia, o folclore e as artes plásticas. Essa riqueza de conhecimentos e expressões torna o canavieirense um povo ímpar, visto e admirado por todos que a visitam e que carregam o sentimento de retornar.

Uma dessas expressões artísticas são as esculturas e entalhes concebidos pelo artista plástico, ou artesão, como ele prefere ser conhecido, Thiago Oliveira, ou simplesmente Thiago. Aos 35 anos, quatro dos quais dedicados à arte, Thiago tem despertado a atenção de turistas e nativos pela simplicidade de seus trabalho, com traços e entalhes precisos, retratando animais do bioma Mata Atlântica.

Após um pequeno tempo com um instrumento na mão, um coco seco se transforma num macaco, numa tartaruga; um caule de coqueiro passa a ser visto como uma carranca; numa simples pedaço de madeira (tábua) aparece um peixe ou uma tartaruga. E essas peças hoje podem ser vistas em residências, pousadas, casas comerciais de várias cidades.

E a diferença da arte canavieirense de Thiago é que cada peça é elaborada com técnica e esmero, personalizadas, obedecendo a individualidade das condições físicas da matéria-prima utilizada. “Não consigo nem quero transformar minha arte em produtos massificados, para atender uma quantidade maior dos turistas que nos procuram”, explica Thiago.

O diferencial da arte concebida pelo artesão Thiago é justamente a utilização de matéria-prima resultante de demolições, sobra de madeira, coqueiros antigos ou rejeitos despejados na praia da Costa pelas marés. Em cada peça existe um detalhe diferente, decorrente do momento da concepção do artista e até da sua elaboração.

Thiago iniciou-se nas artes plásticas – ou artesanato, como ele costuma nominar – por curiosidade, observando sua sogra e sua esposa trabalharem com o artesanato de coco seco. Daí, passou a desenvolver a arte na madeira, sempre com ênfase para animais como tartarugas, macacos, passando pelos totens, as conhecidas carrancas.

Durante o verão o artista trabalha suas peças na cabana onde funciona a Central de Informações Turísticas, na esquina das avenidas São Francisco e Barão do Rio Branco (caminho da praia), onde os turistas param para observá-lo concebendo as artes. Fora da temporada de verão, prefere ficar em casa, na avenida dos Tucunarés, nº 3.000, em frente ao restaurante Delícias da Ilha, no bairro da Atalaia, também transformada em atelier.

Geralmente como se comportam os artistas, Thiago não gosta de falar em preços, pois, segundo ele, cada uma das peças é concebida de forma e tamanhos diferentes, com matéria-prima distinta, bem como consumo de tempo de execução. “Posso assegurar que é arte popular, de fácil acesso a qualquer pessoa”, informa.

O artista revela que está constantemente pesquisando novos materiais, sempre com o apelo da preservação do meio ambiente, o que proporciona um valor intrínseco às peças. “Canavieiras é uma cidade que possui belezas naturais das mais diversas, o que nos inspira a elaborar um artesanato cada vez mais voltado para a flora e a fauna regional”, conclui Thiago.

Author Description

admin

No comments yet.

Join the Conversation