Apurar desvio de material da PMI é história “pra boi dormir”

Azevedo elogia Pascoal no lançamento das obras da avenida do Cinquentenário

Em que pese a Prefeitura de Itabuna ter elaborado nota à imprensa garantindo que o prefeito Capitão Azevedo determinou rigorosa apuração do sumiço de materiais de construção da Prefeitura de Itabuna, nenhum ato oficial corrobora a notícia.

Em Direito Administrativo, que indica os caminhos legais que a Administração Pública deve tomar para iniciar uma apuração, sindicância ou inquérito administrativo, ensina que deve ser publicado um ato especificando a finalidade e as pessoas envolvidas (ativas e passivas).

Apesar disso, nenhuma portaria ou decreto foi publicado, o que indica que a apuração é apenas mais um ato (este, sim) de marketing do prefeito para evitar o assédio da imprensa.

E a esquiva do prefeito é, de certo ponto, compreensível, pois se trata de apurar denúncias contra um dos melhores amigos do prefeito Azevedo, o mestre-de-obras Pascoal. Em todos os discursos feitos pelo prefeito durante o início ou inauguração de obras, Pascoal era elevado à condição de grande tocador de obras, exaltado como o “salvador da pátria”.

– Se essa prefeitura tivesse uns três Pascoal, Itabuna seria outra”, louvava, Azevedo.

O Grupo de Inteligência do Gabinete do Prefeito que realizou a “Operação João de Barro” e os policiais do TOR não concordam com a opinião do prefeito Azevedo.

Author Description

Walmir Rosario

No comments yet.

Join the Conversation