Aprendizes de marcenaria produzem móveis de qualidade

Alunos aplicados se revelam ótimos profissionais

Alegria e orgulho são o sentimento vivido pelos novos marceneiros capacitados pelo programa de qualificação profissional Mina de Talentos em Ilhéus, Caetité e Guanambi. Móveis produzidos pelos aprendizes durante a capacitação foram reconhecidos pela sua qualidade e já são utilizados nos Centros de Treinamento do programa. A Bahia Mineração (Bamin) realiza o Mina de Talentos em parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai).

Durante o curso, os alunos dos três centros de treinamento, sob orientação do instrutor Antônio Carlos Nascimento, fabricaram 43 peças, o que incluiu bancadas, armários, gaveteiros e mesas. A precisão em todas as fases de um projeto de marcenaria, do desenho até o acabamento dos móveis, foi enfatizada ao longo da aprendizagem e se refletiu no nível do material produzido. “Ficou tão bom que recomendamos a utilização dos móveis nos centros de treinamento”, explica o gerente regional do Senai, Jurandir Hendler.

Eliete Cruz, de 32 anos, está entre os 20 trabalhadores que fizeram o curso de marcenaria em Ilhéus, somando-se a outros 40 já obtiveram certificação na mesma área, nos núcleos de Guanambi e Caetité. “Estou feliz por essa oportunidade de conquistar uma formação profissional”, afirma. Ela diz sentir entusiasmo ao ver cada peça finalizada e demonstra estar convencida de que o caminho até o mercado de trabalho é mais fácil de ser percorrido por quem procura qualificar-se profissionalmente.

O diferencial que a qualificação profissional representa motiva outros participantes do Mina de Talentos, como o jovem David Pinto Martins Júnior, 18 anos, que ainda está concluindo o ensino médio e sonha com o primeiro emprego. A mesma vontade de se aprimorar também atrai profissionais experientes, como Friedson Santos Jovita. Com experiência de dez anos como marceneiro, ele já foi dispensado de um emprego numa fábrica de móveis planejados, porque não tinha curso na área. “Existe muita demanda para marceneiros, mas a qualificação pesa bastante, assim como o certificado”, reconhece.

O instrutor do curso, Antônio Carlos Nascimento, observa que os novos marceneiros formados pelo Mina de Talentos têm perfis diferentes e isso favoreceu uma interessante troca de experiências durante o curso. Ele frisa que o profissional precisa ser diferenciado, saber interpretar projetos e ter organização em sua atividade, além de não abrir mão da segurança.

Das 160 horas do curso de marcenaria industrial, 44 foram reservadas ao ensino de noções de cidadania, relacionamento interpessoal, trabalho em equipe, sensibilização socioambiental e segurança do trabalho. “Destacamos bastante a necessidade de conhecer e cumprir as normas regulamentares que dispõem sobre o uso de equipamentos de proteção e operação correta das máquinas”, salienta.

MINA DE TALENTOS – O programa de qualificação profissional Mina de Talentos é fruto de uma parceria entre a Bahia Mineração e o Senai, que contempla comunidades da área de influência do projeto Pedra de Ferro. O objetivo é dar oportunidade de emprego às pessoas da região, com a meta de capacitar 6.500 trabalhadores ao longo de três anos.

PEDRA DE FERRO – O projeto Pedra de Ferro, da Bahia Mineração, prevê investimentos de US$ 2,5 bilhões, na construção de uma mina e unidade de beneficiamento de minério na região de Caetité, e de um terminal portuário em Ilhéus, para escoar a produção anual estimada em 20 milhões de toneladas. O início da operação está previsto para o ano de 2014.

Author Description

Walmir Rosario

No comments yet.

Join the Conversation